Wednesday, December 31, 2008

Impressões (II)




... és a casa de água onde há poucos anos eu escolhi nascer
, és a ponte que atravesso sempre que não consigo entender este meu sentir, este meu ser. Tejo, tejo, malha azul, espelho de um verter
de mágoa, de saudade, saudade do tempo em que tudo em mim havia para crescer, tempo de amor, de verdade, que antes do pensar chegava a ser.

M
as do rio a cidade, e dos búzios as buzinas, e da pureza o suor sujo, o presumido orgulho neste viver castrado. E agora. Agora percorro o que de percorrido se gastou, grito o que de esquecido se adestrou às incongruências do mundo, da vida, esqueço aquele, o outro, que sofrem no silêncio ázigo da fome, da solidão.

... madrugada, descobre-me o rio que atravesso tanto para nada, porque passa quando findo o passo regresso a este mundo devasso, controlando tudo o que faço, sugando a vida que se esgota neste recanto de sargaço, de sonhos amarelados, de cânticos que se calam no limbo da manhã.

... chamam-lhe Lisboa mas é só o rio que é verdade, e sobre ele a brisa, o travo amargo da pressa que nos impede de sentir, de amar, de viver, simplesmente viver.

*

video
Madredeus - O Tejo

Sunday, December 21, 2008

Impressões (I)



Círculos - Chamusca 2008

Do fundo, dois sorrisos confidentes, um cão latindo de contente, três casacos de serpente, a mulher das castanhas, o homem do pão quente. Parte o comboio, somem-se as gentes. Apenas tu e o teu olhar indigente, que tudo afasta, que tudo entende.

Dos escombros da estação, o odor fétido de um corpo contorcido sob a chuva, repleto de pão, fechado numa espécie de solidão confusa.


Daqui, duas sombras que se encaram, dois círculos coalescentes, dois fragmentos de ser, esquecidos, relegados, dois silêncios vencidos, abnegados.

E das sombras, dois rostos que se calam, duas mãos que se encaram, dois braços que resvalam do caudal da indiferença.

Extintos os ses e os porquês, censurada a reprimenda, um abraço apenas
, um gesto de amor no cerne desta contenda que nos suga e entristece.

Brindemos à amizade.

Wednesday, December 17, 2008

Reflex(ão)


Reflex(ão) - Chamusca, Dezembro de 2008

Após o sonho, sagaz querer de um espírito cansado, ímpeto de saudade de um tempo, em si fechado, de novo a bruma, de novo a chusma, saudosa e triste. Cerco-me de um tempo que não existe. De novo esta pressão que persiste nos interstícios da vontade, esta eterna impossibilidade de ser, errante a verdade.

Escrevo porque me escutam as palavras, porque me sinto tremendamente só, cercada de crânios putrefactos, de bonecos de elástico, esticando e encolhendo o fato, ajeitando o laço. E choro, choro lágrimas de um sentir baço, fustigado pela aparência de um espírito que se quer de aço. E grito, grito cá dentro, no seio deste meu corpo devassado pela descrença, em tudo o que penso, em tudo o que faço.

Sinto-me perdida no limiar de um futuro incerto, na sombra de um presente apelando à competição, à hipocrisia, àquele sorriso lasso. Sem acção, contento-me com os restos da minha cobardia, das veleidades do não, do medo que se encerrem os portões da prosperidade, tão longínqua quanto os limites ínfimos da vida.

Procuro em mim a coragem para enfrentar a negação, para destituir o viver despótico que me invade e controla. Procuro no desespero áureo desta melodia a força, e dela um fôlego renovado. Como preciso de ti, liberdade.

video
Vathek, Variação II, Luís de Freitas Branco
Fotos: Cabo Carvoeiro, Dezembro de 2008

Thursday, December 11, 2008

De



Do corpo a razão sucumbindo ao desejo,
Das mãos o suor quente de um beijo,
Do silêncio a palavra proíbida,
Do ósculo o amor cumprindo a vida,
De mim o grito revolto de ninguém,
Em ti música e por ti só o bem.

Tuesday, December 9, 2008

ChAmuScA 2008 - The Very Best (parte 2) - Amália

Na senda do post anterior, aqui fica mais um vídeo, desta feita - Amália, um dos piores filmes de sempre do cinema português.

PS: Dado que a bateria da máquina se esgotou aquando das filmagens (... pouco orçamento), fui forçada a colocar algumas cenas do filme. As minhas sinceras desculpas pelo sucedido.

video

Friday, December 5, 2008

ChAmuScA 2008 - The Very Best (parte 1)


Para os mais conspiradores, este vídeo não contém álcool nem ganza. Apenas o refinado produto da amizade, "um direito que nos assiste". Estes dias foram, como diz a Didi, o ROCK.

PS: serão postados mais vídeos mas primeiro... preciso de DORMIR LOL!!!


video