Saturday, July 24, 2010

... por Lisboa


retirado de Lisboa "cidade triste e alegre"
de Victor Palla e Costa Martins


~

na orla escura
espúria
dos teus dedos
encrustados da faina
e desespero

pendentes

dos teus braços
másculos e viris
repousando
como torsos de pedra
sobre o visco-mármore
do álcool
que embala e aquece
o esquecimento

uns olhos
seráficos
de criança
e o olhar
de espanto
que é vazio
e fome
de ninguém

Saturday, July 17, 2010

~


foto retirada de www.olhares.com (link de autor)

~

existe a noite

e o halo brando

do sentir

que é luar cantante
cindindo o teu rosto-mastro

existe o rio
e o azul-silente da cidade

existe a ausência
e o presente desencontro
em nós


existimos
s

Friday, July 16, 2010

contradança


Carlos Froufe
foto retirada de www.olhares.com (link do autor)

~

estar bem
estar tudo bem
no sorriso lacerante
recluente
daqueloutro olhar
que tão cedo parte

estar bem
estar tudo bem
sem palavra
ou agir conforme
dimanando da noite
insurgente de silêncios

estar bem
estar tudo bem
sem abraço
ou beijo algum
divagando terno
por meu corpo recurvado

estar bem
estar tudo bem
no desvão da palavra
turva e insaciada
que não encontro
senão no sentir errante

estou bem
estar tudo bem
quando a vida
por si torna sorrindo
devolvendo à espera
a brisa de um começo

estou bem
estar tudo bem
no partilhar concedido
do amor primeiro
que é amar tudo
do princípio ao fim

estou bem
está tudo bem assim

Tuesday, July 13, 2010

epílogo


foto retirada de www.olhares.com (link)

~

houvesse
força maior

ou espécie
de estado
de ânimo
ou sentir
verdadeiro
devolvendo

ao agir
o querer
inteiro

~


assim fora

o que
por ora
não

existe

Sunday, July 11, 2010

Invocação



e é de novo
e sempre a ti

que tudo em mim
regressa

-

música

~

video
Alirio Díaz interpretando:
Invocacion y Danza de Joaquin Rodrigo
(obra dedicada pelo compositor a Alirio Díaz)


Saturday, July 10, 2010

manhã


foto retirada de www.olhares.com (link autor)

~

hoje acordei
num abraço
esboroando
o meu corpo

...

e em meus braços

o esboço cavo

que sonhara

Friday, July 2, 2010

ruído


Carlos Froufe
foto retirada de www.olhares.pt (link do autor)

~

existe sempre
um ruído
imagem impura
ardente
de silêncios
no ermo espaço
da cidade-solidão

um ruído
escorrendo
dos precipícios
da tua imagem
(silêncio)
consumida
e gasta
morta já
finalissimamente
antes de o ser


um ruído
ruindo
entre esguios
andaimes de nada
onde do amor
apenas o vazio
fulgente
que habitamos
em massa

um ruído
que é mágoa
e desespero
e desesperança
no viver
cruento
indolente
que nos mata

um ruído cavernoso
e frio

cavernoso

e

frio

de saudade