Friday, March 16, 2012

~


~

não me recordo
do que fui
quando te não
pensava
nem a música
silente
é já beijo
mordente
na tua
ausência

consomes-me
a alma
ao segredo
último de mim
e as cores todas
que são em ti
apenas
e o instante
que é contigo
sempre

amo-te
em desmesura
espera
e não sei mais
o que fazer
do instante
em que me gritas
e esqueces
indiferente

pudesse eu
beijar-te
no limiar
do que sinto
calar-me
na absurdidade
dos meus modos
recordar
a vida
inextinta
aquém de nós
retomar
a força bruta
da verdade
o brilho-amplexo
do olhar
pregresso
sobre o mar
salubre
e claro
de uma tarde
quase noite
em que te
abraçasse
e escutasse
adentro
da turbidez
do teu sentir
do meu sentir
filial


.

lesto
é o instante
em que não és

inconsequente
o gesto de amor
que me não chega