Sunday, July 20, 2014

~

~


foto retirada de www.olhares.com (link do autor)

~

não existe
acção
que eu possa
fazer
nem consequência
do propósito
que não tenho

pesada
inerte
ando e vou
pelo caminho
sem fim
do mar
longe
que não vejo

~

é no teu rosto
perfumado
na tua aura
de bondade
misteriosa
e branca
que respiro
e resisto
ao cansaço
acirrante
do meu corpo

~

faz sempre
noite
aqui
aonde 
o sonho
embate
no silêncio
carregado
das nuvens
e o mistério
de ser
é certeza
indiferente
dura

~

porque além
de nós
não existe
nada
que se saiba
nada que 
o coração
fasto de pulsar
sem onde
possa entender

~

rosto teu
sorriso teu
pródigo

pudesse
eu ver-te
além 
do pensamento
beijar-te
sem denúncia
amar-te
sem porquê

.

nada posso
de momento
falha-me 
a força
esvai-se-me
a vontade
ao propósito
inconsequente
que é viver
atrás do pano

:

porque esta vida
é um teatro

vês

?